Bem vindo para mim!Eu sou Gabriel Orsini e começo a postar nesse blog!

Tags

Olá!Eu sou Gabriel Orsini e começo hoje mesmo a postar nesse blog!Lembra de um post que meu amigo Fimpe postou sobre um outro amigo?Pois é,sou eu mesmo e começo a postar nesse momento de agora.

Na verdade,eu fiz o post da Fanta esplosiva e da Chutebola,com a ajuda do Fimpe,é claro!

Então espero que gostem dos meus posts e até mais!!!

Agora estou blogando com um amigo meu,que também é Corinthians!

A pouco tempo eu estava jogando FIFA 15 e aconteceu que a chuteira teve um filho com a bola e nasceu a chutebola*. Gostaria que vocês pudessem ter visto 😛

Acabei de almoçar e conto a vocês a historia da Fanta “explosiva”. Estava comendo e minha mãe trouxe a Fanta,e quando abrimos a Fanta, ela explodiu.

Agora trago um vídeo legal que achei no YouTube de bugs nooooooo…FIFA 15!

*Mistura de chuteira com bola.

 

Estudo para prova mais ruim do mundo

b.1 O que é ter saúde?

1)Fazer esportes,dormir no minimo 10 horas,Fazer a sua higiene todos os dias,comer frutas e verduras diriamente, ser armonico ter lazer e etc.

2) Os vermes podemsar doenças essas doenças são conhecidas como vrminoses podem ser transmitidas pela falta de saneamento basico.Alguns deles são Lombriga,protozoario,barriga d’agua e etc.

3)Par prteger seus dentes, passe fio dental escove os dentes.

b.2

Jadson x Pato: troca começa bem no Timão, mas Tricolor “inverte” duelo

Às vésperas do Majestoso, dupla não pode jogar mais uma vez. Corintiano vira reserva, são-paulino deslancha, e “balança” muda de lado no segundo semestre

Os dois protagonistas da grande negociação do futebol paulista em 2014 não estarão em campo neste domingo por questões contratuais. Mesmo fora do clássico entre Corinthians e São Paulo, às 16h (horário de Brasília), na Arena,Jadson e Alexandre Pato vão chamar a atenção às vésperas do Majestoso. Pivôs da troca entre Timão e Tricolor em fevereiro, meia e atacante vivem momentos bem distintos. A balança que era favorável a Jadson no início do ano agora mudou de lado: hoje, é Pato quem está em fase positiva no São Paulo, enquanto o colega amarga o banco de reservas no Corinthians.

O legado dessa troca precisa ser explicado em duas fases: antes e depois da Copa do Mundo. Antes dela, a exposição de Jadson foi maior porque o “rival” não podia atuar pelo Campeonato Paulista – ele havia jogado pelo Corinthians nas primeiras rodadas. Assim, o meia reinou soberano e teve maior exposição. Surgiu como solução imediata, distribuiu assistências e fez muitos gols.

Foram sete no total, contra apenas três de Pato, que só jogou Copa do Brasil e Brasileirão. A impressão inicial era de que Jadson seria o camisa 10 necessário para o Corinthians, já que Renato Augusto ainda sofria para se livrar de lesões. Pelos lados do Morumbi, Alexandre Pato era um “intruso”, que havia se indisposto com Rogério Ceni no ano anterior, quando ainda eram adversários, e tinha de desbancar o artilheiro Luis Fabiano.

No último jogo dos dois times antes da Copa, Jadson fez um golaço no empate por 1 a 1 com o Botafogo – o primeiro gol do Corinthians em sua Arena. Levou nota 7,5 no Troféu Armando Nogueira, oferecido pelo canal SporTV. Pato participou da vitória por 2 a 1 sobre o Atlético-MG, no Morumbi, mas não foi bem: levou 4,5.

Montagem, Jadson X Pato (Foto: Editoria de arte)Jadson e Pato trocaram de casa no começo desta temporada (Foto: Editoria de arte)

Virada de Pato

Durante a Copa do Mundo, Pato teve tempo para se adequar ao esquema tático proposto por Muricy Ramalho e ficou fora dos holofotes na excursão do São Paulo a Orlando, nos Estados Unidos. Começou a excursão na reserva de Alan Kardec e voltou “mordido”. As primeiras reações deixaram transparecer um jogador mais interessado no que estava fazendo.

No CT Joaquim Grava, Jadson continuou tranquilo como titular e foi bem em goleada sobre o Uberaba, amistoso realizado no interior de Minas Gerais. O problema é que a concorrência aumentava: Renato Augusto deixou os problemas físicos para trás, e Lodeiro foi contratado do Botafogo, apesar de ter demorado para estrear.

Depois do Mundial, Pato jogou 14 vezes e fez oito gols. Jadson, por outro lado, teve 13 partidas e nenhum gol – muitas vezes saindo do banco de reservas. Hoje, a ausência de Pato no clássico é mais pesada do que a do meia corintiano.

– Tenho buscado aquilo que eu sempre gostei de fazer: jogar futebol. Por isso, me esforço ao máximo para ajudar o time. Mas, além disso, tenho um treinador que tem me ajudado bastante, porque o Muricy foi importante nesse meu crescimento. Ele é uma peça fundamental na minha motivação, porque me quis aqui e deu oportunidade para que eu pudesse jogar – comemorou Pato.

Outro jogador ajuda a explicar a mudança na equação Jadson x Pato depois da Copa do Mundo. No Tricolor, a chegada de Kaká coincide com o crescimento de Alexandre Pato, que considera o meia um tutor desde os tempos de Milan. Em encontro casual com um membro da comissão técnica corintiana, Pato foi questionado sobre sua nova fase no São Paulo. O primeiro nome citado por ele foi o de Kaká, considerado o “paizão” que lhe deu o suporte necessário para trabalhar com tranquilidade.

Assim como no Corinthians, Pato se deu melhor com os jogadores mais jovens do time – casos dos recém-promovidos Ewandro e Boschilla, por exemplo. Com Kaká no elenco, o atacante se ambientou melhor ao grupo dos mais experientes e se adaptou perfeitamente ao esquema ofensivo com o meia, Ganso e Alan Kardec. Sem problemas com lesões, deslanchou. O Timão foi o responsável pela recuperação física de Pato. Quem aproveitou melhor, porém, foi o São Paulo.

OMEGA DOS GAMES por que.

Esses dias ou agora estou tentando fazer uma parceria com o omega grande yutuber me desculpa por não estar trazendo posts ando tendo muita coisa o que fazer então pensei neste post.

Eu vou fazer um novo quadro sobre futebol no videogame e na vida real e tambem sobre youtube, pricipalmente de fifa e de pes vai sair em media 5 posts por mes não prometo nada.

Eu gostaria de fazer parcerias se alguem querer isso tambem me de uma força e escreva   no comentario deste post ou de outro ou me mande um mail e ajude o blog a crescer eu adoraria esse apoio ai postem sobre o blog ajudem o a crescer eu vou agradecer de juelhos.

Voltando ao assunto inicial, eu recomendo entrar no canal do youtube Omega dos games fala tudo que você  vai querer aprender sobre games tudo mesmo o canal é 10 é demais.

Esse foi só o inicio da sere Rumo Ao Estrato do ano passado a série acabou no inicio deste lindo ano de 2014.

 

 

Em nota, Bernard reconhece atraso e admite medo por conflitos na Ucrânia Jogador diz que vai se apresentar ao Shakhtar na próxima segunda, relata problemas vividos no país e fala que não poderá pegar pertences em sua residência em Donetsk

 

 

 
Bernard no Shakhtar (Foto: Divulgação / Site Oficial do Shakhtar)Bernard diz que volta à Ucrânia na próxima segunda (Foto: Divulgação / Site Of. do Shakhtar)

Após a polêmica com o técnico do Shakhtar Donetsk, Mircea Lucescu, o atacante Bernard divulgou nota oficial explicando a ausência do clube e os motivos que o levaram a não se reapresentar à equipe após as férias. Além disso, o jogador admitiu estar com medo de retornar à equipe por conta de conflitos armados que têm acontecido na Ucrânia.  

No comunicado, Bernard afirmou que vai se reapresentar ao Shakhtar na próxima segunda-feira, oito dias após a data marcada pelo clube para ele retornar das férias.

– Estou retornando a um país que vive um conflito que tem tirado muitas vidas e não há qualquer garantia de término. Mesmo assim, sou um profissional que irá cumprir o contrato que assinou. Apenas coloquei na balança, além do profissionalismo, o medo de envolver a mim e meus familiares em um conflito tão perigoso pelo qual passa a Ucrânia. Quem não faria isso?

Bernard voltou a rebater as críticas de Mircea Lucescu, que o chamou de jogador de Twitter.

– Acertei com o Shakhtar meu retorno à Ucrânia para o dia 10 de agosto. Assim, teria praticamente o equivalente a um mês de férias. O clube, ciente e de acordo com a data, me enviou passagem aérea datada do dia 10 de agosto, para que eu voltasse. Reconheço, portanto, que hoje, dia 14 de agosto, se completarão quatro dias que não estou presente na Ucrânia, E isso, claramente não representa que estou três meses de férias. Este adiamento de minha apresentação tem motivos que considero muito sérios e quero explicá-los.

Confira abaixo a íntegra da nota oficial de Bernard:

1 – Deixei a Ucrânia no dia 19 de maio, um dia depois do meu último compromisso como atleta do Shakhtar na temporada (a partida contra o Volyn, no dia 18). Cheguei dia 20 ao Brasil e minha apresentação à Seleção aconteceu no dia 26.05. Portanto, tive apenas sete dias de descanso até iniciar o compromisso com meu país. Defendi a Seleção até o dia 12.07. 

2 – Acertei com o Shakhtar meu retorno à Ucrânia para o dia 10.08. Assim, teria praticamente o equivalente a um mês de férias. O clube, ciente e de acordo com a data, me enviou passagem aérea datada do dia 10.08, para que eu voltasse.

3 – Reconheço, portanto, que hoje, dia 14.08, se completarão quatro dias que não estou presente na Ucrânia, E isso, claramente não representa que estou três meses de férias. Este adiamento de minha apresentação tem motivos que considero muito sérios e quero explicá-los.

4 – É de domínio público que a Ucrânia vive um conflito perigoso e que tem colocado vidas em risco. Vivo com toda minha família por lá desde o ano passado. Quando assinei meu contrato para atuar pelo Shakhtar, o país não vivia esse momento conturbado. Assinei o compromisso também porque havia a promessa de morar em uma cidade com estrutura excelente, trabalhar em um CT e jogar em um estádio com condições de 1º mundo. Evidente que, ciente de meus compromissos profissionais, não fiz qualquer movimento de insatisfação com a situação pela qual o país passava; pelo contrário, cumpri tudo que meu clube me determinava, mesmo que estivesse trabalhando todos os dias com muito medo. Houve vários dias em que, no deslocamento que fazia em direção ao meu local de trabalho, além de deixar meus familiares “presos” dentro de casa, tinha que me identificar para o exército que bloqueava com tanques de guerra a cidade de Donetsk. Essa, definitivamente, não é uma das situações mais agradáveis para se trabalhar. E aqui, não cabe nenhuma crítica a meu clube, que fazia o que podia para garantir minha segurança. Era sim uma questão muito particular.

5 – Quando voltei ao Brasil, fiquei na expectativa de que a situação no país se acalmasse e eu pudesse retornar para poder trabalhar normalmente e com a cabeça unicamente voltada para jogar futebol. Entretanto, os problemas não acabaram tanto que o próprio clube teve que mudar de sua sede para seguir suas atividades em uma cidade a 700 km de distância. Hoje, não posso retornar para Donetsk. Em casa ficaram os meus pertences pessoais e de minha família. Todas minhas roupas, por exemplo, estão por lá. Objetos que levei da minha residência no Brasil hoje estão inacessíveis e não sei quando, e se, poderei um dia pegá-los de volta.

6 – Confesso sim, que estou com receio de voltar à Ucrânia. Respeito os atletas que retornaram, mas é um sentimento muito particular e que envolve a minha vida e de meus familiares. Contudo, pedi a meu agente que mantivesse contato com o clube, e definimos em conjunto, que, mesmo com todos esses problemas que o país vive e com meu receio explicado à diretoria do Shakhtar, vou voltar ao país no dia 18.08. Convido, inclusive, algum jornalista que quiser me acompanhar neste retorno para que possa visualizar de perto e documentar a situação pela qual vive o país.

7 – Respeito todas as opiniões que foram emitidas neste período, mas quero ressaltar que vivo um momento profissional que é impossível de não se misturar com o momento pessoal. Estou retornando a um país que vive um conflito que tem tirado muitas vidas e não há qualquer garantia de término. Mesmo assim, sou um profissional que irá cumprir o contrato que assinou. Apenas coloquei na balança, além do profissionalismo, o medo de envolver a mim e meus familiares em um conflito tão perigoso pelo qual passa a Ucrânia. Quem não faria isso?

 

 

Avisado, Timão aguarda proposta do futebol alemão pelo zagueiro Cleber Aos 23 anos, zagueiro está na mira de um clube da Alemanha e pode deixar o Timão

 

 

 

 
 
cleber corinthians (Foto: © Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians)Cleber pode estar de saída do Corinthians
(Foto: © Daniel Augusto Jr/Ag. Corinthians)

O Corinthians foi avisado e aguarda a chegada de uma proposta do futebol alemão pelo zagueiro Cleber, de 23 anos. As conversas entre o clube europeu – mantido em sigilo – e alguns empresários já duram alguns dias, e o próprio defensor já está ciente desta possibilidade. A janela de transferências nas principais ligas da Europa fecha apenas no dia 31 de agosto.

Sem nenhum percentual econômico do atleta, o clube paulista sabe que não terá muito poder de veto caso a saída seja um desejo de Cleber. Adquirido da Ponte Preta em julho do ano passado, ele tem 80% dos direitos ligados ao empresário Fernando Garcia e outros 10% a Beto Rappa. Os 10% restantes são do próprio jogador. 

Apesar de Cleber sempre negar ter o sonho de jogar fora do país e garantir estar feliz no clube, há quem acredite que as altas cifras envolvidas possam seduzi-lo. Com Anderson Martins na reserva e realizando bons treinos, o clube se considera prevenido para uma eventual saída.

Titular da defesa de Mano Menezes ao lado de Gil, o jogador herdou a camisa 3 que era de Chicão logo em sua chegada. Reserva da dupla formada por Gil e Paulo André no Brasileirão de 2013, se consolidou na equipe quando o segundo acertou sua transferência para o Shanghai Shenhua, da China. Desde então, participou de 30 jogos e marcou quatro gols. Com seis gols sofridos em 14 jogos disputados, é parte importante na melhor defesa do Campeonato Bra